Drenagem Linfática Manual | Por Melissa Betel

O sistema linfático é um sistema auxiliar de drenagem que auxilia o sistema sanguíneo a retirar o excesso de líquido e metabólitos encontrado entre as células.

Sabe-se que o sistema linfático não é provido de um sistema de bombeamento. Sendo assim o mesmo utiliza-se de meios internos (bombeamento das artérias, contração muscular, movimentos respiratórios e movimentos peristálticos) e externos (meias compressivas e drenagem linfática) para auxiliar na capitação, movimentação e encaminhamento desse líquido até o coração.

A Drenagem Linfática Manual foi desenvolvida em 1932 pelo biólogo dinamarquês Emil Vodder e sua esposa, Estrid Vodder. Eles observaram que pessoas com quadros gripais crônicos apresentavam aumento dos linfonodos na região cervical e que com movimentos de estimulação física (massagem) esses quadros apresentavam melhora.

Levando-se em conta conceitos de anatomia, fisiologia e hidrodinâmica desenvolveram-se técnicas que empregam diferentes pressões e compressões que provocam um diferencial de pressão e assim auxiliam no deslocamento do fluido contido dentro do vaso linfático que tem por resultado final a facilitação da entrada de novo conteúdo por diferença de pressão, além do estímulo de todo o sistema para retornar o líquido já drenado de volta ao sistema circulatório.

Em 1999, Godoy & Godoy descreveu uma nova técnica de drenagem linfática na qual faz-se a utilização de roletes como mecanismos de drenagem e sugere a extinção de movimentos circulares durante a massagem.

A Drenagem Linfática, através de manobras que se assemelham ao bombeamento fisiológico, aumenta o volume e a velocidade da linfa transportada pelos vasos e ductos linfáticos. Assim ela favorece a eliminação de toxinas e metabólitos, aumenta a oxigenação de tecidos, aumenta a absorção de nutrientes pelo trato digestório e desde que haja um aumento na ingestão de líquidos, ela aumenta a quantidade de líquidos a ser eliminado pelo sistema urinário.

Em consequência disso, tem-se redução do edema, maior hidratação e nutrição celular, maior rapidez na cicatrização de um ferimento e reabsorção mais rápida de hematomas e equimoses.

A técnica pode ser feita de maneira manual ou através de aparelhos, sendo que ambas têm efeitos semelhantes. A técnica manual é feita com as mãos e composta por manobras rítmicas, leves, lentas e suaves que obedecem ao trajeto do sistema linfático.

É muito comum confundir a Drenagem Linfática Manual com outros métodos de massagem, como a massagem modeladora ou massagem clássica. Vale sempre lembrar que a Drenagem Linfática não produz vasodilatação por utilizar pressões suaves e lentas, assim como não causa dor ou eritema local. Pressões excessivas podem lesar capilares linfáticos o que irá dificultar a retirada do líquido local.

Com o pensamento voltado a revisão anterior, entendemos porque a Drenagem Linfática Manual é uma importante ferramenta para auxiliar no tratamento de distúrbios estéticos como a celulite e a gordura localizada. Outras técnicas de massagem e terapias complementares são indicadas como coadjuvantes e complementares para o tratamento das disfunções estéticas.


Melissa Betel é fisioterapeuta (CREFITO-3/71.386-F) e professora dos cursos de Terapias Corporais e Faciais Estéticas do Instituto Long Tao.

Este texto foi enviado pelo profissional mencionado e seu conteúdo é de sua total responsabilidade.